Respeita o Manipulador!

Eu nasci manipulador! Foi meu primeiro emprego. Comecei na Farmácia de Manipulação Medicamenta em Campinas e logo depois fui trabalhar na EMS Indústria Farmacêutica.

Como era? Eu sempre adorei trabalhar em equipe, então pra mim era um grande prazer estar com meus colegas e muitos deles se tornaram grande amigos.

Aliás esse aí do lado direito sou eu a 20 anos atrás!

Por que devemos respeitar os Manipuladores?


São os profissionais que convivem diariamente com os equipamentos de produção, portanto não tem ninguém melhor que eles pra saber a capacidade, o poder de rotação, a melhor sequência de transferência e tempo de agitação de um produto.

Claro, que muitas vezes, pode faltar conhecimento sobre as matérias-primas adicionadas, mas aí que entra a parceria entre Farmacêutico/Manipulador ou Químico/Manipulador.

A união desses Profissionais gera processos mais otimizados, mais simplificados levando a um menor custo de hora/homem em vários processos.


Falta de humildade


O que acontece as vezes é que os profissionais já formados não veem os manipuladores como alguém que possa agregar no processo de fabricação. A insegurança de alguns profissionais já formados pode levar a uma falta de comunicação com os manipuladores e gerar processos de fabricação mais lentos, perda de lotes simplesmente pela falta de bom senso em fazer uma simples pergunta aos verdadeiros “donos” dos equipamentos: O que você acha se fizermos assim?

Quando eu era manipulador já ajudei muitos farmacêuticos do P&D que nos pediam ajuda, mas fazia questão de ver os lotes darem errado daqueles mais soberbos, que acabaram de se formar e achavam que podiam dominar o monstruoso reator de 10 mil litros da área de semi-sólidos.

Nas farmácias de manipulação então nem se fale. São tantos detalhes nas formulações que o farmacêutico que não vira parceiro dos manipuladores vai sofrer muito no dia-a-dia.


Me formei, estou do outro lado, e agora?


Quando me formei, foi minha vez de acompanhar meu primeiro lote. Lembro até hoje o nome do manipulador que me acompanhou, foi a primeira coisa que perguntei, ele chamava Clodoaldo e era corintiano. Me ajudou muito no processo de produção de um protetor solar que era super complexo e no final, deu tudo certo. Sucesso total!

Fiz vários lotes com ele e trocávamos várias ideias sobre como melhorar os processos dos produtos. Quando entrei na Natura, a mesma coisa, tentei ser o mais cordial possível. Queria até participar dos processos e até tomei um banho de silicone volátil um dia!

Hoje como Consultor, entreguei meu último grande projeto em 2019. Sempre acompanho os primeiros lotes de fabricação e produzimos de 2 a 3 toneladas de produtos e ajuda dos manipuladores foi constante.

Minha dica aos que estão se formando ou recém ingressos em indústrias farmacêuticas e cosméticas: você não é obrigado a saber sobre os equipamentos e processos em grande escala. Procure ajuda, não seja esnobe, pois isso pode custar caro e depois não me venha culpar os manipuladores!


Além disso, criar um ambiente de confiança entre formulador e manipulador evita que erros de processo sejam mascarados, pois muitas vezes pelo medo de represálias, os manipuladores podem esconder erros cometidos.


Caso meus amigos manipuladores do passado estejam lendo isso, grande abraço a todos! Foi sempre um prazer trabalhar com todos vocês!


abraços

Lucas Portilho


156 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • 1024px-Telegram_logo.svg
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
revista,bannersite.jpg

© 2010 lucasportilho.com • Todos os direitos reservados.