• Lucas Portilho

Cisteamina vs Hidroquinona

Um estudo recente realizado na Austrália e publicado no Australasian Journal of Dermatology comparou a eficácia da famosa hidroquinona versus a não tão nova cisteamina.

Achei interessante porque aqui no Brasil a pelo menos 1 ano a cisteamina tem sido muito utilizada e divulgada.

Apesar do resultado, o que me chamou a atenção foi o fato que poucos participantes foram recrutados, outro tanto desistiu no meio do estudo e algumas acabaram sendo desconsiderados por motivos relacionados a aparecimento de acne, aplicação e incorreta. Uma das voluntárias aplicou cisteamina 2 vezes ao dia e apresentou reação adversa.

Além disso, apenas 2 participantes do grupo cisteamina não apresentaram queixas quanto eventos adversos, como eritema, prurido, queimação e irritação moderada.

A queixa de eventos adversos foi menor no grupo que usou hidroquinona. O cheiro também foi notado pelas participantes do grupo cisteamina, como sabemos, mesmo mascarando o odor ainda pode ser percebido.

Os participantes do estudo foram todas mulheres com histórico de melasma por pelo menos 3 meses. Foram avaliados o score MASI das participantes, que é uma escala numérica que determina a severidade e intensidade do melasma.

Veja abaixo a relação numérica:

· Melasma leve: 2,7 – 5,7

· Melasma moderado: 5,8 – 7,9

· Melasma severo: acima de 8

As participantes do estudo foram randomizadas para receber cisteamina ou hidroquinona.

O creme com cisteamina foi aplicado e removido após 15 minutos, enquanto o creme com hidroquinona permaneceu na pele após aplicação. A orientação foi usar diariamente por 16 semanas. Os participantes ainda foram orientados a evitar exposição solar e usar protetor solar.

Ao final das 16 semanas, no grupo cisteamina foi observado 21,3% de redução e 32% no grupo hidroquinona. Os pesquisadores consideraram a diferença entre os dois pouco significativa, ou seja, teoricamente, os dois ativos apresentaram redução semelhante.

Se levarmos em consideração apenas os participantes que terminaram o estudo, excluindo os desistentes, essa porcentagem de melhora vai para 39,1% e 33% nos grupos cisteamina e hidroquinona, respectivamente. É isso mesmo que você acabou de ler, a cistemanina teria melhora superior à hidroquinona.

A foto de uma das participantes do grupo cisteamina foi bem impactante.

Podemos aprender aqui que existem vários cuidados e orientações antes de indicar a cisteamina para pacientes com melasma, além disso, mais estudos com mais participantes são necessários para confirmar os achados do presente estudo. E a hidroquinona, tão mal falada quanto a efeitos adversos, apresentou menos quando comparado a cisteamina.

Lembrando que meus artigos são voltados para Profissionais da área da saúde, se você não é, procure um e nada de ficar se automedicando.

Abraços

Lucas


O artigo abaixo também pode te interessar.

Referência

Nguyen J, Remyn L, Chung IY, Honigman A, Gourani-Tehrani S, Wutami I, Wong C, Paul E, Rodrigues M. Evaluation of the efficacy of cysteamine cream compared to hydroquinone in the treatment of melasma: A randomised, double-blinded trial. Australas J Dermatol. 2020 Sep 27. doi: 10.1111/ajd.13432. Epub ahead of print. PMID: 32981068.

436 visualizações
  • 1024px-Telegram_logo.svg
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram
revista,bannersite.jpg

© 2010 lucasportilho.com • Todos os direitos reservados.