© 2010 lucasportilho.com • Todos os direitos reservados.

revista de cosmetologia

Plasma Rico em Plaqueta no Melasma

October 17, 2019

Um estudo realizado por pesquisadores do departamento de dermatologia de duas Universidades da Tailândia e publicado no Journal of Cosmetic Dermatology (fator de impacto 1,311) avaliou em um estudo piloto o uso de PRP (Plasma Rico em Plaqueta) no tratamento do melasma.

O objetivo foi avaliar a eficácia do tratamento com plasma rico em plaquetas (PRP) para melasma em dez pacientes do sexo feminino com melasma bilateral do tipo misto. Em 4 sessões de tratamento, realizadas a cada 2 semanas, o PRP foi injetado por via intradérmica em um lado da face (condição PRP) e solução salina normal no outro (condição controle). O PRP foi preparado usando o YCELLBIO Kit®. Os resultados foram avaliados com o MASI, que avalia a intensidade e severidade do melasma e através do Mexameter® e Antera® 3D ambos avaliam a intensidade e área da mancha através de um software. A satisfação dos pacientes também foi avaliada no início, 2, 4, 6 semanas e 1 mês após a conclusão do tratamento.

 

Os resultados demonstraram  o escore MASI e os níveis de melanina avaliados pelo Antera® 3D no grupo PRP melhores quando comparados com a condição  controle. A satisfação dos pacientes aumentou significativamente ao longo do tempo. No entanto, os índices de eritema e melanina avaliados pelo Mexameter® não diferiram significativamente entre as condições de controle e PRP. Os efeitos colaterais do tratamento foram leves e resolvidos espontaneamente em poucos dias. CONCLUSÃO: Este é o primeiro estudo randomizado, controlado por placebo, usando PRP para tratamento de melasma. A injeção de PRP melhorou significativamente o melasma dentro de 6 semanas após o tratamento em termos de pontuação no MASI, satisfação do paciente e níveis de melanina avaliados pelo Antera®. Portanto, a injeção intradérmica de PRP pode ser usada como uma terapia alternativa ou adjuvante para o melasma. No entanto, são necessários ensaios adicionais para uma avaliação mais rigorosa de sua eficácia e segurança a longo prazo.

Lembrando que no Brasil nem todo Profissional está habilitado para aplicação da técnica. 

abraços!

Lucas Portilho

 

Fonte: J Cosmet Dermatol. 2019 Sep 30. doi: 10.1111/jocd.13157.

 

 

 

Please reload

Posts Em Destaque

Um dos Conservantes Mais Bem Tolerados em Cosméticos

November 4, 2019

1/9
Please reload

Posts Recentes