© 2010 lucasportilho.com • Todos os direitos reservados.

revista de cosmetologia

Formulando Produtos para Recém-Nascidos

June 10, 2019

Antes de nascer o bebê está em um ambiente quente, estéril e seguro e logo após o nascimento passa a conviver com um ambiente com variações de temperatura e susceptível a contato com bactérias e agentes alergênicos.

A partir desse momento é fundamental que a divisão celular que mantém a barreira cutânea ocorra de forma correta, pois qualquer alteração no turnover celular pode resultar no desenvolvimento de doenças de pele, como dermatites e eczemas.

Apesar de estar mergulhado em água e fluido amniótico, a estrutura da pele consegue se diferenciar e formar um estrato córneo que impede a perda de água transepidermal.

Em relação a maturidade da pele do recém-nascido encontramos algumas controvérsias. Alguns autores afirmam que a pele do recém-nascido ainda não está completamente desenvolvida comparada com a pele do adulto, enquanto outros autores afirmam que a barreira epidermal é semelhante à dos adultos.

Independente da estrutura da epiderme nos primeiros meses de vida, um fato é certo, o turnover celular é mais acelerado nas peles mais novas.

O maior cuidado nesta etapa é não interromper a divisão celular normal da epiderme, mas sabemos que vários ingredientes cosméticos podem interferir nessa etapa.

Os tensoativos, conservantes e fragrâncias são algumas dessas substâncias. Em relação a conservantes adicionados, não precisamos nos preocupar, pois a maioria das linhas de cosméticos não utiliza mais liberadores de formaldeído ou conservantes potencialmente alergênicos. A maioria das fragrâncias de produtos para bebês tem pouca ou ausência de substâncias alergênicas.

Mas em relação aos tensoativos, ainda tenho dúvidas. Não porque são tensoativos agressivos, pelo contrário, a maioria das linhas utiliza tensoativos suaves, no entanto o que me preocupa é como esses sabonetes ou shampoos cabelo e corpo são utilizados.

Muitas mães utilizam o seguinte método para dar banhos nos recém-nascidos: colocam na banheira, aplicam o sabonete e em seguida usam a mesma água da banheira para remover o excesso de tensoativo. Mas se pararmos pra pensar, aquela água que foi usada como enxague está cheia de tensoativo. Quando o bebê sair da banheira sua pele ainda está resíduo dessa substância. O grande problema é que esses tensoativos usados em produtos pra banho não são feitos para ficar na pele, devem ser enxaguados.

Devemos evitar que substâncias que interferem na formação de barreira fiquem acumulados.

 

Produtos deveriam trazer cartilhas, folhetos ou ilustrações

 

Uma dica que sempre dou é deixar uma parte da água reservada para dar o enxague final ou usar o chuveiro. Assim garantimos que o excesso de tensoativo foi totalmente removido e o ritmo natural de renovação celular e formação de barreira aconteça naturalmente.

Uma barreira mais estruturada vai garantir uma proteção contra influxo de agentes externos como bactérias e agentes alergênicos, além de manter a pele livre da perda de água transepidermal excessiva.

Figura 1. Estapas corretas para evitar que o tensoativo fique acumulado na pele. Nunca usa a mesma água para enxaguar o bebê.

 

Tensoativos indicados para recém-nascidos e composition breakdown

Antes de começar a formular um produto de limpeza para bebês solicite a carta de abertura de composição ao fabricante. Essa etapa é fundamental para evitar surpresas na etapa de desenvolvimento. A maioria dos surfactantes vem diluído em água, portanto precisam de conservantes. Na carta de abertura de composição podemos verificar qual conservante está sendo utilizado. Caso observe a presença de tiazolinonas, por exemplo, melhor escolher outra matéria-prima, pois lembre-se que essa classe de conservantes é vista como uma das mais alergênicas para peles atópicas.

A cocoamidopropil betaina também não é bem vista no mundo da dermatologia, assim como o já conhecido laurel éter sulfato de sódio.

Ambos podem ser substituídos por tensoativos mais suaves, conservados com benzoatos e sorbatos e em alguns casos, já existem tensoativs que são livres de conservantes.

 

Exemplos de tensoativos utilizados em produtos infantis.

 

Lamesoft PO 65

INCI Name: Coco-Glucoside (and) Glyceryl Oleate

Fabricante: BASF

 

Plantapon LGC Sorb

INCI Name: Sodium Lauryl Glucose Carboxylate (and) Lauryl Glucoside

Fabricante: BASF

 

AMISOFT ECS-22SB

INCI Name: Sodium Cocoyl Glutamate

Fabricante: Ajinomoto

 

CRODASINIC series

Derivados de sarcosinatos com diferentes tamanhos de cadeia carbônica.

Fabricante: Croda

 

 

Espero ter contribuído um pouco para  conhecimento de formuladores que desenvolvem produtos infantis.

Abraços

Lucas Portilho

 

Please reload

Posts Em Destaque

Um dos Conservantes Mais Bem Tolerados em Cosméticos

November 4, 2019

1/9
Please reload

Posts Recentes