revista,bannersite.jpg

© 2010 lucasportilho.com • Todos os direitos reservados.

Instituto de Cosmetologia Realiza Pesquisa e Revela Dados Alarmantes Sobre Uso de Fotoprotetores pela População Brasileira

September 5, 2014

 

  • 77% da População Ignora a Proteção UVA ao Comprar o Filtro Solar

  • 40% Ainda Consideram o Bronzeamento Uma Prática Saudável

  • 55% da População se Expõe ao Sol Pela Manhã por Acreditar ser Este o Horário Mais Seguro

  • 57% dos Entrevistados Não Aplicam Filtro Solar Diariamente

  • 71% dos Entrevistados Não Reaplicam Filtro Solar

  • Somente 14% dos Entrevistados Recorrem Ao Dermatologista Para Indicação do Melhor Filtro a Ser Utilizado

  • FPS 30 e 50 São os Preferidos dos Brasileiros

  • 52% Aplicam o Filtro Solar Apenas no Rosto

  • 70% dos Brasileiros Não Aplica Fotoprotetor em Dias Nublados

  • Apenas 8% Utilizam Roupas para se Proteger do Sol

  • Nova Legislação Brasileira para Filtros Solares Busca Melhorar Qualidade dos Fotoprotetores Comercializados no País

  • Bloqueador Solar Não Existe Mais

Icosmetologia REALIZA PESQUISA INÉDITA E REVELA DADOS ALARMANTES SOBRE FOTOPROTEÇÃO NO BRASIL

 

O maior levantamento já feito nos últimos anos no Brasil com o objetivo de mapear os hábitos da população em relação ao uso de filtros solares e prevenção dos malefícios da radiação solar foi realizado pelo INSTITUTO MAURICIO PUPO DE EDUCAÇÃO E PESQUISA, o IC, de Campinas.

A pesquisa foi liderada pelos Farmacêuticos e Cosmetólogos Dr. Lucas Portilho e Prof. Mauricio Gaspari Pupo e foi realizada de pesquisa direta (entrevistas pessoais) com 1024 pessoas de ambos os sexos e com idades entre 18 e 65 anos nas cidades de São Paulo, Campinas, Porto Alegre e Recife.

 

Conhecimento e Prevenção do Câncer de Pele

 

De acordo com o Farmacêutico e Professor de Cosmetologia Mauricio Pupo, autor do livro Tratado de Fotoproteção, 2013, o principal objetivo da pesquisa foi coletar dados e alertar a população e a comunidade científica da necessidade de se melhorar os canais de informação da população em relação ao uso correto e escolha adequada dos fotoprotetores em função do tipo de pele.

Vale lembrar, alerta Pupo, que o Brasil é um dos países com maiores índices ultravioleta do mundo por se localizar numa regiçao tropical do planeta e onde a exposição solar é uma cultura que está comumente associada a hábitos saudáveis, o que como já se sabe, nem sempre pe verdade.

Pupo ainda ressalta que segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, o câncer de pele não melanoma (não maligno), causado pelo sol, é o mais incidente no Brasil dentre todos os outros tipos desta doença com cerca de 134.000  novos casos em 2012 e 2013.

Também de acordo com  dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), o Brasil registrou em 2013, aproximadamente, 6.230 novos casos de melanoma (maligno), o mais letal e agressivo dos tumores cutâneos, sendo 3.170 em homens e 3.060 em mulheres.

Estes dados justificam, segundo Pupo, uma maior atenção das autoridades para a questão da fotoproteção uma vez que o câncer de pele já se tornou um problema de saúde pública no país.

 

Fotoenvelhecimento em Foco

 

Já para o Farmacêutico e Consultor em Desenvolvimento Cosmético Dr. Lucas Portilho o uso do filtro solar é, sem dúvida, uma ferramenta importantíssima, senão a mais importante e crucial, para prevenir o chamado fotoenvelhecimento - envelhecimento da pele causado e acelerado pela exposição aos diferentes tipos de radiação solar- e o uso adequado e consciente do fotoproteto contribui para a manutenção de uma pele livre de sinais precoces do envelhecimento, como rugas, manchas e flacidez, e em casos mais avançados, da elastose solar. “Estudos científicos já demonstraram que o excesso da radiação ultravioleta emitida pelo sol é a principal responsável pelo envelhecimento precoce da pele”, afirma o Especialista que já viajou o mundo estudando novas moléculas que protegem a pele da radiação solar. 

Portilho ainda complementa, “Ninguém quer chegar aos 30 anos com rugas, manchas e flacidez. Por outro lado é muito fácil chegar aos 50 e até aos 60 anos livre de rugas, basta usar filtro solar de modo adequado desde cedo, uma vez que os danos provocados pela radiação solar são acumulativos”.

 

O Espectro da Radiação Solar Abrangida pelos Fotoprotetores

 

Embora a  radiação ultravioleta emitida pelo sol seja muito mais ampla do que se costuma ver nos rótulos dos fotoprotetores a grande maioria deles se destina a proteger a pele contra as radiações UVA e UVB por serem as que estão mais relacionadas à tumorogênese e também por serem as únicas exigidas pela legislação em vigor.

 

 

Raios UVA (Ultra Violeta A)

 

A radiação UVA está presente na natureza em níveis muito maiores e mais expressivos que a radiação UVB e, embora menos energética, é uma das mais perigosas. Diferente da UVB, a radiação UVA atravessa vidros e janelas e penetra profundamente na pele, chegando até a derme,  camada mais profunda da pele e onde se localizam as fibras de colágeno e elastina, gerando uma quantidade altíssima de radicais livres.

Os radicais livres gerados por esta radiação causam aumento da degradação das fibras de colágeno e elastina que dão sustentação à pele, sendo a principal responsável pelo fotoenvelhecimento, incluindo rugas, linhas de expressão, flacidez e manchas.

Vale ainda lembrar que a radiação UVA, por ser uma grande geradora de radicais livres, que produz danos profundos e irreparáveis ao DNA estando relacionada a praticamente todos os tipos de câncer de pele.

A radiação UVA, ao contrário do que se acredita, está presente o ano todo, inclusive no inverno, e em níveis muitas vezes intoleráveis em todos os horários do dia (entre 9:00hs e 17:00hs) e quando se leva em conta que a grande maior parte da população passa a maior parte do dia em escritórios e casas, sempre perto de janelas, podemos dizer que esta é a radiação que atinge a pele em maior quantidade quando comparada com a UVB.

Em rótulos de produtos fotoprotetores o PPD é a sigla que indica o quanto um determinado produto protege contra a radiação UVA.

 

Raios UVB (Ultra Violeta B)

A radiação UVB é mais energética e, embora não atrevesse vidros e nem janelas, exerce seu poder destrutivo por impacto direto sobre a pele - como no caso das queimaduras solares.

Sendo assim apesar de não penetrar profundamente a radiação UVB também pode causar lesar o DNA e causar fotoenvelhecimento e câncer de pele. Uma vez que vidros são capazes de filtrar a radiação UVB podemos dizer com segurança que a maior parte da população se expõe pouco a esta radiação, a menos que possua atividade prevalentemente ao ar livre.

 A radiação UVB está ainda presente na natureza em níveis muito menores que a radiação UVA e sua incidência é maior no verão do que no inverno e também nos horários próximos ao meio dia - entre 11:00hs e 14:00 horas, ao passo que a radiação UVA está presente o ano todo e também durante todo o dia praticamente.

Em rótulos de produtos fotoprotetores o FPS é a sigla que indica o quanto um determinado produto protege contra a radiação UVB.

 

77% da População Ignora a Proteção UVA ao Comprar o Filtro Solar

O primeiro dado alarmante da pesquisa realizada pelo IC sobre Fotoproteção no Brasil revela que 77% dos entrevistados ignora os dados de proteção anti-UVA constantes na rotulagem dos produtos solares ou por não saber ou por acreditar que a proteção UVB é a mais importante, sendo que 31% alega não saber a diferença entre os dois tipos de radiação.

Apenas 8% dos entrevistados compra o fotoprotetor baseado na proteção UVA mesmo levando em conta que a maior parte da radiação absorvida no nosso dia-a-dia seja a UVA ao invés da UVB.

 

40% Ainda Consideram o Bronzeamento Uma Prática Saudável

40% dos entrevistados pelo IC na pesquisa sobre Fotoproteção no Brasil alega considerar o bronzeado uma prática saudável, apesar de centenas de estudos científicos sérios relacionarem esta prática com o fotoenvelhecimento precoce e com o câncer de pele. 17% dos entrevistados não souberam responder a pergunta o que mostra que um número considerável de pessoas carece de informações. Numa visão mais otimista podemos dizer que é muito positivo o fato de 43% dos entrevistados estarem cientes que bronzear-se não é um hábito saudável para quem quer evitar os malefícios do sol.

 

55% da População se Expõe ao Sol Pela Manhã por Acreditar ser Este o Horário Mais Seguro

Outro dado alarmante e revelado pela maior parte dos entrevistados pelo IC na pesquisa sobre Fotoproteção no Brasil é que a maioria deles acredita ainda que se expor ao sol no período da manhã seria mais seguro - 55% - ignorando o fato que a radiação UVA é praticamente onipresente e seus efeitos nocivos já se fazem sentir a partir das 9 horas através de graves lesões ao DNA celular e geração de quantidades altíssimas de radicais livres que levam ao fotoenvelhecimento e ao câncer de pele prematuramente.

 

57% dos Entrevistados Não Aplicam Filtro Solar Diariamente

Outro dado preocupante revelado pela pesquisa realizada pelo IC sobre Fotoproteção no Brasil é que mais da metade dos entrevistados - 57% - não aplica filtro solar diariamente.

Sendo que o Brasil é um país que está na mira do sol, independente da estação do ano e do horário do dia, e a incidência de raios ultravioleta no país, expressa pelo Índice Ultravioleta, é muito alta, o uso diário do filtro solar é obrigatório. 

 A pesquisa revelou ainda que  19% dos entrevistados aplicam o fotoprotetor apenas quando vão à praia, piscina ou caminhada e apenas 42% dos entrevistados utilizam o filtro solar diariamente.

É importante lembrar que mesmo as pessoas que trabalham em locais fechados, mas onde há janelas por perto, estão sujeitas a serem irradiadas, principalmente, pela radiação UVA, que atravessa facilmente os vidros penetrando profundamente na pele. 

 

71% dos Entrevistados Não Reaplicam Filtro Solar

O dado mais alarmante revelado pela pesquisa realizada pelo IC sobre Fotoproteção no Brasil aponta que 71% dos entrevistados não reaplica o filtro solar como recomendado pela ANVISA e pelos fabricantes dos produtos.

A reaplicação do fotoprotetor deve ser feita a cada duas horas, uma vez que a grande maioria dos filtros solares perde de maneira sginficativa ou até completamente seu poder de filtrar as radiações UVA e UVB após duas horas da aplicação inicial.

Desta maneira é fácil deduzir que a maioria das pessoas acredita estar protegida com apenas uma aplicação diária do produto quando na verdade o mesmo costuma deixar de agir após 2 horas da aplicação. Dos entrevistados que utilizavam diariamente filtros solares, apenas 29% reaplicavam o produto. 

 

Somente 14% dos Entrevistados Recorrem Ao Dermatologista Para Indicação do Melhor Filtro a Ser Utilizado

Embora a grande maioria dos entrevistados que declara usar filtro solar esteja ciente de sua importância para a manutenção da saúde apenas 14% recorre ao dermatologista para uma indicação correta, revelou a pesquisa realizada pelo IC sobre Fotoproteção no Brasil. Levando-se em conta que a escolha do protetor solar adequado inclui a análise de fatores como fototipo cutâneo, hábitos ocupacionais, atividades recreativas, histórico de doenças de pele, grau de envelhecimento ou de fotoenvelhecimento, dentre outros, a indicação do fotoprotetor por um profissional especializado seria de grande importância.

 

FPS 30 e 50 São os Preferidos dos Brasileiros

Segundo a pesquisa realizada pelo IC sobre Fotoproteção no Brasil os FPS preferidos pelos brasileiros são o FPS 30 e o FPS 50. Ao contrário do que se imaginava apenas 17% revelou utilizar protetores solares com FPS igual a 60 e uma parcela mínima dos entrevistados - 4% - declarou preferir utilizar FPS considerados altíssimos como 80 e 100.

Vale ressaltar que um fotoprotetor com FPS 30- que já é considerada uma alta proteção - absorve mais de 96% da radiação UVB e que um FPS 50 absorve cerca de 98% desta radiação, de modo que não existe razão lógica para uso de produtos com FPS maiores ou os chamados "altíssima proteção". *Ressalta-se que embora 1 entrevistado tenha declarado utilizar FPS igual a 100 os mesmos foram proibidos pela ANVISA por ocasião da última atualização na legislação para fotoprotetores comercializados no Brasil por levar o consumidor a acreditar que estaria 100% protegido contra a radiação solar, o que obviamente não é uma verdade.

 

52% Aplicam o Filtro Solar Apenas no Rosto

A maior parte dos brasileiros - 52% - aplica o filtro solar apenas no rosto, deixando desprotegida a pele do corpo, foi o que revelou a pesquisa realizada pelo IC sobre Fotoproteção no Brasil.

Levando-se em consideração que a pele do corpo também sofre com o impacto da radiação solar tanto do ponto de vista do câncer de pele quanto do fotoenvelhecimento, e levando-se ainda em conta que os tratamentos de rejuvenescimento cutâneo são muito melhor sucedidos quando aplicados na pele do rosto do que no corpo, acredita-se que a população ainda está má informada quanto à real necessidade de aplicar o fotoprotetor no corpo todo, incluindo rosto, orelhas e pescoço.

 

 

70% dos Brasileiros Não Aplica Fotoprotetor em Dias Nublados

Um dado muito preocupante revelado pela pesquisa realizada pelo IC sobre Fotoproteção no Brasil é que 70% dos entrevistados não aplicam o filtro solar em dias nublados ou chuvosos indicando uma necessidade de maior conscientização da população. Sabe-se que as nuvens não filtram a radiação solar e que graves queimaduras de pele podem ocorrer em dias nublados uma vez que os raios UVA e UVB possuem a capacidade de atravessar as nuvens. Sendo assim os fotoprotetores devem utilizados diariamente e inclusive nos dias nublados e chuvosos.

 

Apenas 8% Utilizam Roupas para se Proteger do Sol

A pesquisa Fotoproteção no Brasil realizada pelo IC revelou que apenas 8% dos entrevistados utiliza roupas para se protegerem do sol apesar desta forma de proteção adicional ser altamente eficiente, econômica e de fácil acesso da população. Outro dado interessante é que 49% dos entrevistados declararam utilizar apenas óculos para auxiliar na proteção contra o sol, sendo que apesar de protegerem a retina, pouco ou nada fazem para proteger a pele.

 

Considerações Gerais

 

Nova Legislação Brasileira para Filtros Solares Busca Melhorar Qualidade dos Fotoprotetores Comercializados no País

A partir de Junho de 2014 todas as empresas foram obrigadas a adequar os produtos de acordo com a RDC nº 03, publicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Segundo a nova norama todos os fotoprotetores comercializados no país devem comprovar proteção tanto contra os raios UVA quanto UVB - a legislação anterior ignorava a proteção UVA. Antes da nova legislação entrar em vigor as empresas precisavam apenas comprovar o valor de proteção contra os raios UVB, ou seja, apenas o valor de “FPS”. O FPS ou Fator de Proteção Solar, é um valor que determina apenas a proteção do produto contra a radiação UVB.

É muito importante lembrarmos que o FPS não tem relação nenhuma com a proteção contra os raios UVA. O teste que comprova a proteção do produto contra os raios UVA agora é uma exigência da ANVISA e os valores de proteção anti-UVA são expressos pela sigla PPD que significa "Persistent Pigment Darketing".  Nos USA muitos profissionais são a favor da alteração do nome FPS (Fator de Proteção Solar) para FPQ (Fator de Proteção contra Queimaduras), uma vez ques FPS é uma medida que determina somente a proteção contra a radiação responsável pela queimadura solar e não contra a radiação UVA.   

 

Bloqueador Solar Não Existe Mais

 

Outra novidade em relação à nova legislação é que fica proibido a utilização do termo “bloqueador solar”. A razão da proibição foi em função de que é impossível barrar 100% da radiação, mesmo quando se fala em produtos com FPS 99 ou 100.

Muitos profissionais da saúde "sofriam" ao tentar explicar para o consumidor a diferença entre “Protetor Solar” e “Bloqueador Solar”, mas agora ficou mais simples, “Bloqueador Solar” não existe mais. 

 

 

Conclusão

 

Podemos concluir que são necessárias medidas de larga escala para esclarecer a população sobre os malefícios da radiação UV, principalmente no que diz respeito à radiação UVA e que ainda se fazem necessárias campanhas de conscientização sobre o uso correto dos filtros solares, como a reaplicação, aplicação no corpo todo, horário de aplicação do produto e a importância de aplicar filtros, mesmo em dias nublados e locais fechados com janelas dentre outras.

Please reload

Posts Em Destaque

Pós Graduações na Área da Cosmetologia

December 10, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes